CidadesDestaquePolítica

Após renunciar ao mandato, ex-vereador João Rosa se pronuncia publicamente sobre as denúncias do Ministério Público

Suspeito de movimentar esquema de arrecadação e apropriação ilegal de dinheiro em cerca de R$ 332 mil, o vereador João Rosa Leal (PSDB) renunciou ao mandato parlamentar na tarde desta quinta-feira, 3 de abril.

Na tarde da quinta-feira, 4 de abril, o vereador João Rosa Leal, após ser afastado do cargo pelo Ministério Público, formalizou sua renúncia ao terceiro mandato parlamentar. | © CMJ
578Visualizações
Portal Rede Pop Notícias e Entretenimento

Na quarta-feira, 3 de abril, o titular da 4ª Promotoria Pública do Ministério Público de Goiás (MP-GO) em Jataí, cidade da região sudoeste do Estado, João Biffi, reuniu parte da imprensa local para anunciar o pedido de afastamento do vereador João Rosa Leal (PSDB) por 30 dias para não comprometer as investigações por suspeita de improbidade administrativa com o crime de enriquecimento ilícito. De acordo com o promotor público, há provas de que, desde 2012, o vereador João Rosa Leal estava cobrado vantagens indevidas de seus assessores, ou seja, parte do salário mensal deles para mantê-los no cargo. Tal prática criminosa teria ocorrido até março deste ano.

Na tarde desta quinta-feira, 4 de abril, o vereador João Rosa Leal (PSDB) protocolou o seu pedido de renúncia ao mandato. Na carta de renúncia protocolada às 16h05min, o então parlamentar comunicou “a renúncia expressa ao mandato de vereador que me foi outorgado nas urnas pelo eleitorado deste município, no pleito de 2016, em caráter irrevogável e irretratável com efeitos imediatos. Na oportunidade, informo que as razões que levaram a esta decisão são de cunho estritamente pessoal”, afirmou no documento.

Confira, a seguir, a carta de renúncia de João Rosa Leal.

Com a renúncia de João Rosa, o primeiro suplente da coligação da qual o PSDB fez parte nas eleições de 2016, o pastor evangélico Luiz Carlos Cabral dos Anjos (PSDB), atualmente diretor do Procon local, deverá reassumir o cargo de vereador. Luiz Carlos foi vereador por um mandato (2009-2012) e assumiu uma cadeira parlamentar no segundo semestre de 2018, por ocasião do afastamento temporário de Thiago Maggioni (PSDB), que disputou a eleição para deputado estadual. João Rosa cumpria seu terceiro mandato no poder legislativo jataiense.

Atual chefe do Procon jataiense, o pastor evangélico Luiz Carlos Cabral dos Anjos, suplente de vereador pelo PSDB, deve assumir a vaga deixada pelo ex-vereador João Rosa Leal. | © CMJ

João Rosa Leal se pronuncia ao povo jataiense por meio de nota

Na manhã desta sexta-feira, 5 de abril, o agora ex-vereador João Rosa Leal divulgou uma nota onde, pela primeira vez, se pronuncia sobre as denúncias do Ministério Público que pesam contra ele. Confira, a seguir, a íntegra da nota.

Segundo denúncia do Ministério Público de Goiás, o vereador de Jataí, João Rosa Leal (PSDB) teria acumulado cerca de R$ 332 mil, de forma ilegal, tirando do salário de assessores. | © Reprodução/CMJ.

“Caros amigos, venho através desta nota dizer que após 25 anos de inteira dedicação a essa comunidade na área de saúde, antes mesmo de assumir cadeira na Câmara Municipal, resolvi encerrar minhas atividades. Foi um trabalho árduo, porém gratificante, porque como vereador tive a oportunidade de intensificar minhas ações em favor dos menos protegidos.

Além das leis e benefícios que consegui aprovar para esta cidade, acompanhei de perto todas as ações de instituições locais, sempre oferecendo meus préstimos como homem público. Sei que poderia responder no exercício do cargo a ação movida contra mim, porém, com a idade já avançada e necessitando cuidar de minha saúde também, decidi que seria esta a hora de encerrar minhas atividades de homem público, preservando assim o que ainda me resta de vida. É o que faço agora.

Após pedido do então sr. promotor, para me afastar por 30 dias, resolvi então, colocar não só os 30 dias, mas, todo o restante do meu mandado a disposição da justiça, com isso poderei responder com mais tranquilidade ao processo que hora se desencadeia. Peço a toda população que aguarde com paciência e serenidade, e podem ter a certeza de que durante o processo os fatos reais virão à tona.

Obrigado e estarei a disposição de todos.
João Rosa Leal”

Em breve, o agora ex-vereador João Rosa Leal vai ser ouvido pelo Ministério Público enquanto que as investigações continuam para a abertura de uma ação civil pública por improbidade administrativa.

Portal Rede Pop Notícias e Entretenimento
Terry Marcos Dourado
Jornalista, radialista, apresentador de TV e WebTV, cerimonialista em eventos, também artista e "youtuber" no Estado de Goiás; com mais de 27 anos de experiência profissional em Jornalismo (desde 21/11/1991), Terry Marcos Dourado é o idealizador, diretor-proprietário, diretor de conteúdo, editor-geral e jornalista responsável pelo Portal Rede Pop (Gazeta Popular, PopTV, PopMix RádioWeb, Estelar Filmes, Agência PopStar e o Canal Hiper T, no Youtube.).

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários:

LEIA COM ATENÇÃO

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias (PORTAL REDE POP NOTÍCIAS E ENTRETENIMENTO) reserva para si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência.

Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links.

Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Postagens criminosas, que firam a legislação brasileira serão repassados às autoridades policiais competentes para rastreamentos e as medidas legais cabíveis aos criminosos.

Deixe uma resposta