Morreu na tarde deste domingo (10/9), o cantor e compositor de Jataí, cidade da região sudoeste de Goiás, Lindomar Rezende, também conhecido pela alcunha “irmão”, em razão deste seu bordão particular usado quando cumprimentava as pessoas.

Segundo informações, o artista jataiense passou mal e foi levado às pressas para a emergência da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local, onde não resistiu e veio a falecer. No começo da noite de domingo, a comoção e homenagens começaram a surgir nas redes sociais.

Lindomar Rezende sempre foi um artista popular. Nos anos 80, foi eleito vereador em Jataí para um único mandato. Por muitos anos, se apresentava com o companheiro Mouracito. A dupla tinha uma banda de forró.

VELÓRIO – A partir das 16 horas desta segunda-feira (11/09), o corpo do artista e ex-vereador jataiense Lindomar Rezende será velado nas dependências da Câmara Municipal de Jataí. Durante toda a madrugada e manhã desta segunda, o velório acontece no Memorial Municipal, em frente ao Cemitério São Miguel. Cantor e compositor de grandes sucessos na década de 1970, Lindomar Rezende foi o vereador mais votado do pleito de 1976. Exerceu um mandato, de 1977 a 1982. Ele morreu no domingo (10/9), devido a complicações causadas pelo diabetes. O sepultamento está marcado para as 18 horas.

HOMENAGEM PÓSTUMA Lindomar Rezende deixa um legado de amor a música, admiradores e um vazio no cenário cultural jataiense. O canal PopTV aqui do Portal Rede Pop está produzindo uma edição especial extraordinária do Programa Ferveção, a revista cultural e vitrine eletrônica de artistas de Jataí e região, contando um pouco da trajetória e curiosidades de Lindomar Rezende. O programa especial estará na internet na noite desta segunda-feira, 11/9.

EX-VEREADOR MORREU AOS 67 ANOS POR COMPLICAÇÕES CAUSADAS POR DIABETES

Lindomar Rezende se apresentando em evento da Câmara de Vereadores de Jataí, local onde exerceu um mandato nos anos de 1970.

Muita gente não sabe, mas o cantor e compositor jataiense, Lindomar Rezende, foi vereador em Jataí (GO) por um mandato. Ele morreu neste domingo, 10/9, aos 67 anos, por complicações causadas pelo diabetes. O artista passou mal durante a tarde do domingo e foi levado às pressas para Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu e morreu durante o atendimento.

Nascido em 19 de janeiro de 1950, na fazenda Sertãozinho, município de Jataí, Lindomar Rezende Silva também foi candeeiro, carreiro, leiteiro, sapateiro, alfaiate e tintureiro. Mas foi na música que ele alcançou um grande destaque nos anos de 1970, chegando a gravar discos pela extinta gravadoras Poligram e RDG. Ao todo, foram quatro LPs (discos de vinil) e dois CDs, que também foram regravados pelas famosas gravadoras brasileiras Copacabana e Danúbio.

Lindomar Rezende conquistou sucesso em Goiás após diversas participações em vários programas de TV aqui no Estado, como o programa “República Livre do Cerradão”, do saudoso Coronel Hipopota; ainda os programas “Chora Viola” e o do “Bolinha”. No rádio, participou de programas como o “Onde Canta o Sabiá”, da rádio Anhanguera.

POLÍTICA – Como liderança do movimento estudantil no então Instituto Samuel Grahm (hoje, Instituto Presbiteriano Samuel Grahm – IPSG) levaram Lindomar Rezende a arriscar-se na carreira política. Em 1976, foi o candidato mais votado a vereador, com 961 votos. Por isso, presidiu a sessão que deu posse ao então prefeito eleito Mauro Antônio Bento e ao vice-prefeito eleito, Gênio Eurípedes Cabral de Assis (atual secretário municipal de Cultura); também comandou a eleição e posse da mesa diretora da Câmara de Vereadores.

Como os mandatos dos prefeitos e dos vereadores eleitos em 1976 foram prorrogados por mais dois anos devido à reforma eleitoral promovida pela ditadura, Lindomar Rezende teve seis anos de um trabalho discreto no parlamento jataiense. Decidido a não permanecer na vida política (“trabalho árduo, complicado, mas pouco reconhecido”, dizia), voltou a dedicar-se integralmente à música. Além de compositor e intérprete cheio de recursos, ele foi professor de violão por 40 anos. Deu aulas a artistas e duplas como Felipe & Falcão, Matão & Monteiro, Demétrio & Políbio, Max & Michel, Andreyna Carvalho e Alba Franco.

Autor de um clássico musical antirrascista, a música “Diferença de Cor”, Lindomar Rezende foi o primeiro afrodescendente homenageado no Dia da Consciência Negra pela escola Isaías Soares. Popular na cidade devido ao talento artístico e ao seu veículo Chevrolet Veraneio dourado, Lindomar era também conhecido pela alcunha de “Irmão”, seu bordão predileto com o qual cumprimentava igualmente a todas as pessoas.

Atualizaremos esta notícia, com mais detalhes, a qualquer momento.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Terry Marcos Dourado
Carregar mais por Cidades

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias (PORTAL REDE POP TRANSMÍDIA) reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Postagens criminosas, que firam a legislação brasileira serão repassados às autoridades policiais competentes para rastreamentos e as medidas legais cabíveis aos criminosos.

Veja Também

Grávida, cachorrinha ganha ensaio fotográfico de dona e vira “musa” da internet

Grávida de três anos, a cachorrinha Cindy além do nome de uma verdadeira “lady”…