CidadesDestaqueEconomiaRio Verde

Funcionários da BRF em Rio Verde (GO) temem demissões após países europeus proibirem exportação de frango

Recentemente, a União Europeia proibiu 20 frigoríficos brasileiros de exportarem frango para países do bloco. A medida foi tomada devido a questões sanitárias. A BRF negou irregularidades.

Com mais de 30 marcas em seu portfólio, entre elas, Sadia, Perdigão, Qualy, Paty, Dánica e Bocatti, a Brasil Foods (BRF S.A.) é uma das maiores companhias de alimentos do mundo. Produtos da BRF S.A. são comercializados em mais de 150 países, nos cinco continentes. Mais de 100 mil funcionários trabalham na companhia, que mantém em atividade mais de 50 fábricas em oito países: Brasil, Argentina, Emirados Árabes Unidos, Holanda, Malásia, Reino Unido, Tailândia e Turquia.

Em 2016, a BRF S.A. comercializou mais de quatro milhões de toneladas de alimentos e realizou mais de 600 mil entregas mensais. Em todo o mundo, a companhia atende mais de 240 mil clientes e alimenta milhares de famílias. Além disso, mais de 13 mil produtores integrados trabalham diariamente no campo para fornecer a base dos alimentos produzidos pela companhia: aves e suínos.

A BRF S.A. é fruto da fusão entre as famosas marcas alimentícias Sadia e Perdigão, duas das principais empresas de alimentos do Brasil. A operação foi anunciada em 2009 e concluída em 13 de julho de 2013 após a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). A partir de então, Sadia e Perdigão encerraram as atividades como empresas e tornaram-se marcas do portfólio da BRF Brasil Foods S.A..

Unidade produtora da BRF: funcionários temem demissões pós-férias coletivas de maio.

NOVA CRISE – Abril de 2018. Os funcionários da BRF S.A. em Rio Verde, maior cidade da região sudoeste de Goiás, estão com medo de demissões após recente decisão da União Europeia de proibir 20 frigoríficos brasileiros de exportar frango para países daquele continente por questões sanitárias. A unidade goiana da BRF está na lista e se defendeu ressaltando que a ação tem por objetivo proteger o mercado europeu.

Funcionários da BRF S.A. em Rio Verde (GO), principalmente quem vai entrar em férias coletivas em maio, temem demissões. Funcionários ouvidos pelo Portal Rede Pop, que pediram para não serem identificados, disseram que estão receosos de serem demitidos a qualquer momento pela empresa. “Muitos de nós estamos atolados em dívidas, possuímos compromissos financeiros a serem quitados e esta situação está nos deixando bastante preocupados”, relatou um funcionário do setor de produção da empresa.

A União Europeia anunciou, em 19 de abril, o bloqueio aos frigoríficos brasileiros e o embargo vai vigorar 15 dias após a decisão ser oficialmente publicada. “Nós confirmamos que os representantes dos países votaram por unanimidade a favor de deslistar 20 estabelecimentos brasileiros de exportar carne e seus derivados (especialmente frango). A medida proposta pela comissão europeia é relativa a deficiências detectadas no sistema brasileiro oficial de controle sanitário”, afirmou a União Europeia em comunicado oficial emitido pela Comissão Sanitária da entidade.

RIO VERDE – A unidade da BRF em Rio Verde (GO) abate diariamente mais de 400 mil frangos. A partir do bloqueio da exportação de produtos, principalmente aves para países europeus, o medo dos funcionários da unidade rio-verdense é de que a produção diminua e, como consequência, demissões aconteçam. Se o temor se tornar realidade, a economia goiana, será duramente afetada, principalmente a economia local, ou seja, da cidade de Rio Verde.

Unidade da BRF S.A. em Rio Verde, na região sudoeste de Goiás.

Em nota à imprensa, a BRF S.A. afirmou que a suspensão aplicada aos frigoríficos brasileiros pela União Europeia não foi baseada em questões sanitárias, mas motivada por questões políticas de proteção ao mercado europeu. A empresa disse ainda que ainda não foi oficialmente informada sobre a decisão.

“Diante desta nova realidade, a BRF iniciará a revisão de seu planejamento de produção, que já considera o regime de férias coletivas em quatro de suas unidades: Capinzal (SC), Rio Verde (GO), Carambeí (PR) e Toledo (PR). Ainda é prematuro prever o impacto dessa revisão, dada a complexidade da cadeia produtiva na qual a BRF está inserida”, afirma o comunicado. A empresa disse ainda que vai buscar seus direitos legais perante os órgão europeus responsáveis e apoiar integralmente as ações do governo brasileiro.

Outra unidade frigorífica em Goiás que também integra a relação dos frigoríficos afetados pelo bloqueio comercial feito pela União Europeia é a São Salvador Alimentos, sediada em Itaberaí. A assessoria de imprensa da empresa disse que não vai se pronunciar sobre o caso pois ainda não recebeu nenhuma notificação da União Europeia.

Tags
Mostre mais

Terry Marcos Dourado

Jornalista e radialista goiano com mais de 25 anos de experiência profissional (desde 21/11/1991), Terry Marcos Dourado é o idealizador, diretor-proprietário, diretor de conteúdo, editor-geral e jornalista responsável pelo Portal Rede Pop.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários:

LEIA COM ATENÇÃO

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias (PORTAL REDE POP NOTÍCIAS E ENTRETENIMENTO) reserva para si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência.

Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links.

Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Postagens criminosas, que firam a legislação brasileira serão repassados às autoridades policiais competentes para rastreamentos e as medidas legais cabíveis aos criminosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios